Portal Para a Morte

sábado, 17 de março de 2012

A Morte

















A morte
progride lado a lado
com a tua vida dissimulada e triste.

Teus desejos carnificínos
por mim clamam
a cada instante.

Teus pesadelos
voam como abutres
em teu corpo eivado e frio.

Agora sou teu desejo.
Sou tua vontade de viver.
Sou o teu pensamento
que devora tua alma
sofrendo em segredo
a cada instante
em que meu peito bate
e teu pulmão arqueja.

Tua fragrância malévola,
asfixiando por intoxicação.
Pobre coração malfadado!
Mortuário de sonhos.

            Janice Adja

"Plágio é crime e está no Artigo 184 do Código Penal 9610".







9 comentários:

  1. Oi, Janice. Gostei muito do poema. A morte é condição universal do homem. Cedo ou tarde, nosso último dia vem. O que nasce depois? Não sabemos, e talvez um dia possamos saber. Enquanto a morte não nos visita, acho ótimo celebrar a vida lendo um bom poema como o seu.

    ResponderExcluir
  2. Que bom você gostou.
    Obrigado. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. A morte, a coisa mais certa da vida(obvio, não?rs). Seria a coisa definitiva? Acredito que sim.
    Mais um bonito poema.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    A vida é um círculo. Passamos por fases.
    E a morte deve ser a última . . . ou a primeira?.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Morte. Para uns, o fim, para outros, oportunidade de recomeçar, do zero, do nada. Nihil. Até a morte é inspiradora.

    ResponderExcluir
  6. Que bom você por aqui.
    É isto mesmo que você disse.
    Obrigado.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Poxa, vc desistiu do "Arte de Morrer"? Fiquei curioso... rs

    ResponderExcluir

Vamos movimentar este blogger.
Deixe seu comentário.