Portal Para a Morte

sábado, 29 de março de 2014

Medo da Noite

Imagem retirada do googler
Neste barulho intenso da noite
ouço apelos de "Socorro"
Gritos de: -Deus me acuda!
Prantos oriundos vindo do nada.

Ignorada toda a noite,
calo o pranto em medo.
No escuro da liberdade, 
adormecida no frio 
que rasga o corpo sem sangrar.

A noite assombrada em mistérios
não deixa dormir os insones.
O medo me deixa ouvir e ver
 o inexistente que me assombra.

A fadiga toma conta do meu corpo
desprotegido do frio e do descaso.
É dia. Tudo volta ao normal.
Meu corpo expulsa a fadiga fadigada.

             Janice Adja
"Plágio é crime e está no artigo 184 do Código Penal 9610".

5 comentários:

  1. Bela poesia janice.
    Bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo!!!
      Você sempre por aqui.
      Beijos!!

      Excluir
  2. Veo Janice que sigues en tu linea,con tus versos y poesias Beijos desde BDN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por estar sempre por aqui.
      Beijos!!

      Excluir
  3. Olá, Janice.
    Acredito que, na hora em que queremos e devemos dormir, todo o dia anterior (e talvez os anteriores a ele) reprisa intermitentemente em nossa cabeça, queiramos ou não, o que torna esse hábito aparentemente calmo e pacífico um suplício para muitos.
    Abraço, obrigado pela visita e um ótimo domingo pra ti, Janice.

    ResponderExcluir

Vamos movimentar este blogger.
Deixe seu comentário.